Duda Gonçalves
@eduardacg_
20/10/21
05h00

Análise

Como jogam os times de Marquinhos Santos, novo técnico do América

Treinador tem trabalhos marcados pela intensidade, velocidade e eficiência nas bolas paradas ofensivas

O treinador tem a missão de manter o América na Série A do Brasileiro — Foto: Luiz Henrique / Figueirense
Duda Gonçalves | @eduardacg_
20/10/21 - 05h00

Com a missão de manter o padrão de jogo e dar sequência no trabalho desenvolvido na temporada, Marquinhos Santos, de 42 anos, assume o comando do América. O treinador chega com respaldo da diretoria, devido ao perfil de seu trabalho e suas metodologias. Mas, como jogam os times treinados por ele? 

A reportagem do Super.FC conversou com os repórteres Maurício Reolon e Eduardo Costa, da Rádio Gaúcha, que o acompanharam pelo Sul do país, e contam o perfil do treinador e seus trabalhos. As principais características são de um time intenso, veloz e com bom aproveitamento em bolas paradas ofensivas, perfil similar ao de Vagner Mancini.

“Tem uma equipe com ataque rápido, de velocidade pelos lados, boa bola parada. Constrói suas jogadas com uma saída com três homens, uma marcação em bloco médio e bloco alto. Utiliza de jogo curto para atrair o adversário nessa saída de três, e se defende fechando muito bem os espaços”, explica Eduardo Costa.

A intensidade adotada por Vagner Mancini é também característica de Marquinhos, sendo assim, a ideia é de que não haja mudança brusca na forma de jogar. “Ele é adepto ao jogo posicional, mas sem se prender em uma única formatação. Os melhores momentos no Juventude foram com uma equipe compacta, com intensidade e com velocidade pelos lados do campo”, relata Maurício. Sendo assim, peças como Ademir e Fabrício Daniel, devem seguir no time, devido às habilidades. 

No América, Marquinhos Santos vai em busca do equilíbrio, visto que no Juventude, teve dificuldades em aumentar o desempenho ofensivo e na sequência, viu cair sua consistência defensiva - marca de seu trabalho. “Tem como características começar seus times pela defesa”, diz Eduardo. Porém, no Juventude, deixou o time com a terceira pior defesa, com 36 gols sofridos no Brasileirão. 

Há um consenso entre os profissionais ao afirmar que Marquinhos realizou bons trabalhos, ainda que com elencos limitados tecnicamente, como o do Juventude, como destaca Eduardo. “Pela falta de um elenco numeroso e com uma sequência de jogos em curto espaço de tempo, a equipe acabou perdendo produção e as estratégias, que no primeiro turno davam certo, já não surtiam mais efeito”, diz. 

Porém, a vinda do treinador para o América é vista com bons olhos pelos jornalistas, que acreditam que o time mineiro tem um plantel melhor, com mais possibilidades. “Ele tem um grupo com mais opções, que está confiante, e isso pode fazer a diferença para adaptação do time com ele”, concluiu Maurício.

Marquinhos Santos chegou a Belo Horizonte na tarde desta terça-feira e será apresentado na manhã de hoje no CT Lanna Drumond. Há expectativa de que ele já comande a equipe no próximo sábado (23), diante do Santos, na Vila Belmiro, em jogo válido pela 28ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

---

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar.

Siga O TEMPO no Facebook, no Twitter e no Instagram. Ajude a aumentar a nossa comunidade.

Escreva um comentário
Comentar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000