Folhapress
@otempo
27/01/21
09h28

Busca no mercado

Cruzeiro mira técnico que prometeu negar 'até convite do Flamengo'

Felipe Conceição, tem 53,6% de aproveitamento no Guarani e, além do Flamengo, negou propostas do Coritiba e investidas do Cuiabá

Felipe Conceição teve campanha histórica com o América em 2019 na Série B — Foto: Thomaz Marostegan / Guarani FC
Folhapress | @otempo
27/01/21 - 09h28

Agora sem Felipão, o Cruzeiro terá de ir ao mercado para recompor seu comando técnico. Mais do que isso, precisará de um forte poder de convencimento ou da ajuda crucial de investidores para encontrar o substituto do treinador pentacampeão.

O grande problema é que o Cruzeiro não tem esse poder de barganha, tudo pela fragilidade econômica do clube, que apresenta dívida global estimada em mais de R$ 1 bilhão. Mesmo assim, o time mira Felipe Conceição, técnico responsável pela ascensão do Guarani na Série B do Campeonato Brasileiro e que chegou a dizer que negaria até um eventual convite do Flamengo.

"Nem se o Flamengo [viesse], hoje não. Eu tenho a palavra com o presidente [Ricardo Moisés, do Guarani], eu vou cumprir. E além disso, da palavra e do ambiente que eu tenho com os atletas, da autonomia que eu tenho para trabalhar aqui, enfim, vários fatores que ajudam você a ser firme na posição, eu tenho os meus valores também e quero construir eles assim na minha carreira", disse à EPTV, afiliada à Globo, em novembro de 2020.

O contrato de Tigrão - como o treinador é conhecido - com o Guarani vai até o fim de 2021. Ele está no clube há três meses, desde outubro, quando substituiu Ricardo Catalá, treinador que queria trabalhar com jogadores mais experientes, o que está fora da realidade financeira atual do Guarani.

Conceição comandou o clube bugrino em 23 jogos até agora, com 11 vitórias, 4 empates e 8 derrotas, somando aproveitamento de 53,6%.O treinador negou recentemente propostas do Coritiba e investidas do Cuiabá, clube que alcançou o acesso à Série A com Allan Aal.

Além da falta de dinheiro o Cruzeiro tem outros problemas a serem resolvidos, como a punição administrativa da CNRD (Câmara Nacional de Resoluções de Disputas), que atinge ainda a parte esportiva, já que a equipe celeste está impossibilitada de inscrever novos atletas na CBF.

A punição é motivado pelo fato de o Cruzeiro não ter pago R$ 1,3 milhão ao PSTC, do Paraná, pela venda do zagueiro Bruno Viana ao Olympiacos, da Grécia. O time paranaense tinha 20% dos direitos do jogador e ficou sem sua parte do acordo, o que motivou o processo na CNRD. Viana foi vendido em 2016.

---

Em tempos de desinformação e pandemia, o jornal O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo mineiro, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Continue nos apoiando. Assine O TEMPO.

Escreva um comentário
Comentar

Ver todos
Fechar
Log View
Vem ser Premium!
Seja Premium
Salve matérias
Você poderá salvar as matérias para ler quando e onde quiser.
Matérias Premium
Veja as matérias exclusiva para usuários premium.
Notificações
Receba notificações de novas matérias do seu time do coração.
Av. Babita Camargos, 1645 - Contagem Minas Gerais - CEP: 32210-180
+55 (31) 2101-3000