Recuperar Senha
Fechar
Entrar
21/02/17

Presidente nacional do PSB lança Marcio Lacerda para governador, e ex-prefeito aceita

0
Marcio Lacerda (ao centro) recebeu elogios de Carlos Siqueira (de terno azul) e topou desafio de disputar o governo

O ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB) foi lançado nessa segunda-feira (20) como pré-candidato ao governo do Estado de Minas Gerais pelo presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira. O anúncio foi feito em Belo Horizonte, durante uma reunião na Assembleia Legislativa de Minas que oficializou a filiação do deputado federal George Hilton no PSB. Depois da provocação do presidente, Lacerda respondeu no microfone que aceita o convite.

Em seu discurso, Carlos Siqueira disse que as candidaturas em Minas, com Lacerda, e em São Paulo, com o atual vice-governador paulista, Márcio França, fazem parte do projeto nacional do partido. A partir de março, Lacerda vai começar uma série de viagens pelo interior. Em algumas cidades, irá aproveitar o convite para receber medalhas de cidadão honorário e intensificar a articulação.

“O presidente lançou o Lacerda como pré-candidato, citou ainda o Márcio França, que deve assumir nos últimos seis meses em São Paulo. O PSB é leve, deve agregar muitas forças da esquerda e da direta, o PSB tem essa função de ser alternativa em 2018. O Carlos Siqueira destacou o desempenho do Lacerda nos oito anos de governo e a sua atuação na Frente Nacional dos Prefeitos”, afirmou o deputado federal George Hilton.

Na última semana, o PSB fez uma reunião com deputados federais e estaduais. O grupo dividiu o Estado em 66 microrregiões. Cada parlamentar recebeu seu quinhão de responsabilidade. “Foram repassadas três tarefas: trabalhar o partido, a chapa de deputados federais e estaduais e a candidatura ao governo do Estado”, disse uma fonte que participou do encontro. Internamente, a expectativa é que mais um deputado federal e um estadual se filiem ao partido neste ano com vistas a 2018.

A prioridade do diretório nacional e do próprio Marcio Lacerda, segundo fontes próximas dele, é a disputa como governador; contudo, uma candidatura ao Senado não está descartada. O ex-prefeito da capital tem contado em rodas de conversas que está “feliz” com a atual rotina, diz que gosta de poder viajar sozinho, fazer compras dirigindo o próprio carro e conta que tem tido um bom retorno dos belo-horizontinos.

Segundo uma fonte, uma candidatura própria ao governo do Estado tem sido bem recebida internamente. “Isso puxa muitos votos”. Mas o nome de Lacerda não chega a ser unanimidade. O deputado federal Júlio Delgado (PSB), que não compareceu ao evento, surpreendeu-se com as declarações de Siqueira sobre a candidatura de Lacerda. “Acho que é incipiente, tem ainda um processo interno a se enfrentar. Quem entra na chuva muito cedo, se molha antes. Acho prematuro”, afirmou Delgado. Ele disse que o resultado em 2018 deve ser um reflexo de 2016, que ele chamou de “desastroso” na capital. O nome apoiado por Lacerda, Délio Malheiros (PSD), ficou em quinto lugar. No Estado, o PSB saiu de 31 prefeitos eleitos em 2012 para 49, em 2016. (Tâmara Teixeira)

Temer consulta bancada

O presidente Michel Temer (PMDB) ligou nessa segunda-feira (20) para o deputado federal e vice-presidente da Câmara Fábio Ramalho para saber se agrada à bancada mineira o nome do vice-procurador geral da República, José Bonifácio Borges de Andrada, para o cargo de ministro da Justiça. Fábio Ramalho, que é coordenador do grupo de 53 deputados eleitos pelo Estado, afirmou que sim. Com isso, a chance de Bonifácio ficar com a vaga na Esplanada dos Ministérios aumenta. Além de Bonifácio, outro mineiro disputa a substituição de Alexandre de Moraes, indicado ao STF. O deputado federal Rodrigo Pacheco (PMDB), porém, perdeu terreno ao ser bombardeado por críticas na imprensa nas últimas semanas.

Frase do dia

“Eu acho que é inconstitucional não a decisão da Câmara, mas por conta do parentesco de alguém, ou por credo ou por religião, ou por cor, ou por raça, tratar diferentemente alguém.”
Romero Jucá, líder do governo no Senado, sobre a Lei da Repatriação impedir que parentes de políticos utilizem a regra

R$ 40 mil é quanto a Prefeitura de Carangola, na Zona da Mata do Estado, vai pagar pelo show da banda Bonde do Forró no Carnaval da cidade. 

Insatisfeitos

O grupo dos 15 vereadores independentes de Belo Horizonte, liderados por Dr. Nilton (PROS), se reuniu nessa segunda-feira (20) para avaliar a relação entre Executivo e Legislativo. Inicialmente, o encontro já estava marcado com o objetivo de avaliar a resposta do prefeito Alexandre Kalil (PHS) sobre demandas que foram levadas a ele na última quarta-feira. Porém, segundo Dr. Nilton, não houve retorno, mas eles mantiveram a reunião. “Fizemos mais uma análise sobre a atual situação (entre os Poderes). Esperávamos um retorno, mas não houve diálogo. Temos conversado com outros vereadores que também estão reclamando da falta de diálogo, que é o que a gente tem buscado com a prefeitura”, afirmou.

Férias antes de trabalhar

A Advocacia Geral da União (AGU) impediu, por meio de decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), que uma magistrada gozasse de dois meses de férias antes de cumprir integralmente os primeiros 12 meses de exercício do cargo. A atuação da AGU ocorreu após uma juíza federal substituta do próprio TRF-1 acionar a Justiça para pleitear o direito a 60 dias de férias acumulados relativos ao exercício da magistratura de 24 de março de 2011 a 24 de março de 2012, acrescido do adicional de um terço. A Procuradoria Seccional da União em Varginha (MG), unidade da Procuradoria Geral da União da AGU que atuou no caso da juíza, alertou que, de acordo com a Resolução 130/2010 do Conselho de Justiça Federal (CJF), “serão exigidos 12 meses de exercício no cargo para o primeiro período aquisitivo de férias, independentemente da averbação de tempo de serviço anterior”.