Crise sanitária

Após Itália, EUA também exigirá teste de Covid a passageiros de voos da China

Medida é válida a partir de 5 de janeiro, definiu o governo estadunidense; alto índice de contaminação no país asiático preocupa

Por Agência
Publicado em 28 de dezembro de 2022 | 19:01
 
 
 

Os Estados Unidos exigirão que todos os passageiros vindos da China por via aérea entrem no país com testes negativos de Covid-19, alegando que Pequim não compartilha informações suficientes sobre o aumento dos casos de novo coronavírus no gigante asiático, anunciou uma autoridade federal de saúde nesta quarta-feira (28).

A partir de 5 de janeiro, "todos os passageiros aéreos com dois anos de idade ou mais provenientes da China serão obrigados a fazer um teste no máximo dois dias antes da partida da China, Hong Kong e Macau, e apresentar um resultado negativo às companhias aéreas no momento da partida", disse o funcionário.

"O rápido aumento recente da transmissão de covid-19 na China aumenta a possibilidade do surgimento de novas variantes", acrescentou. Segundo o funcionário, Pequim fornece dados limitados sobre as variantes que circulam na China às bases de dados globais. Os testes e relatórios sobre novos casos também diminuíram.

"Com base nessa falta de disponibilidade de dados, é mais difícil para as autoridades de saúde pública dos Estados Unidos identificar novas variantes que estão se espalhando" para o país norte-americano, explicou.

O requisito do teste se aplica a passageiros de transporte aéreo, independentemente de sua nacionalidade e status de vacinação, e inclui pessoas que viajam da China para os Estados Unidos via outros países, bem como aquelas que fazem escala em qualquer aeroporto americano.

(AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!