Histórico

Lata de chocolate de 122 anos é arrematada em leilão por mais de R$3 mil

Casa de leilões alertou ao comprador a não consumir o chocolate

Por O TEMPO
Publicado em 30 de setembro de 2022 | 09:42
 
 
 

Uma lata de chocolate da marca Rowntree, produzida em 1900, foi arrematada em recente leilão por £ 519 (R $3.055). Feito em York, no Reino Unido, o doce que sobreviveu por mais de um século foi encontrado em uma casa em Immingham, Lincolnshire (Inglaterra).

"As latas aparecem com bastante frequência, mas é incrivelmente raro encontrar uma que ainda contenha o chocolate", disse o leiloeiro Paul Cooper à BBC.

"Ele foi encontrado em uma caixa de lixo em uma recente limpeza do sótão, e acredita-se que tenha sido guardado há muitos anos pelo falecido marido do vendedor, cujo avô lutou na Guerra dos Bôeres", completou.

De acordo com o leiloeiro, inicialmente, esperava-se que o item fosse arrematado por cerca de a £ 100 a £ 200 ( aproximadamente R$ 1195). No entanto, o interesse pela lata foi maior do que o esperado. Já que este lote, estava em condições muito melhores.

“Os interessados não estavam atrás apenas do chocolate, mas também do valor histórico da lata, que tem a efígie da rainha Vitória'', contou Paul Cooper .

Segundo a BBC, a lata de chocolate foi arrematada por um comprador do Reino Unido. Além disso, a casa de leilões alertou ao comprador a não consumir o chocolate.

Entenda a história dos chocolates Rowntree

O chocolate Rowntree tem uma história controversa. Encomendado pela Rainha Vitória para enviar tropas que lutavam na Guerra dos Bôeres na África do Sul, nenhum dos grandes fabricantes de chocolate do país queria produzi-lo.

Rowntree, Cadbury e Fry eram todos de propriedade de Quakers – pacifistas que se opunham à guerra – e não queriam ser vistos lucrando com a luta.

Eles finalmente decidiram fazer o chocolate e doá-lo gratuitamente, mas enviá-lo em latas sem marca.

Foi uma decisão que irritou a rainha, que queria que os soldados soubessem que estavam recebendo o melhor chocolate britânico. Um acordo foi alcançado, o que significou que o chocolate foi carimbado com o nome do fabricante - incluindo a lata em leilão -, mas as latas permaneceram sem marca.

.

 

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!