Pena de Morte

Mulher é condenada à forca por matar o marido na frente do filho de 9 anos

De acordo com as investigações, a esposa contou com a ajuda do seu amante para dopar o marido, atingi-lo na cabeça com um martelo e cortar a garganta dele com uma faca

Por O Tempo
Publicado em 17 de outubro de 2023 | 14:24
 
 
 

Ramandeep Kaur Mann, uma cidadã britânica de 38 anos natural de Derby, foi sentenciada à pena de morte por enforcamento na Índia. Ela foi considerada culpada pelo assassinato de seu marido, Sukhjit Singh, durante uma viagem em família a Délhi, em 2016. O crime chocante ocorreu em meio a um triângulo amoroso, no qual Ramandeep e seu amante, Gurpreet Singh, foram os autores.

Sukhjit Singh, empresário britânico, faleceu após sangrar até a morte na casa de sua mãe. Os detalhes do assassinato revelam que ele foi dopado, atingido na cabeça com um martelo e teve a garganta cortada com uma faca.

A única testemunha do crime foi o filho de nove anos do casal, que depôs contra sua mãe durante o julgamento. De acordo com as declarações do advogado do governo, Shree Pal Verma, a criança relatou como sua mãe e Gurpreet mataram seu pai enquanto ele dormia em casa.

Segundo o advogado, durante a investigação, ficou claro que Ramandeep estava envolvida em um relacionamento com Gurpreet, e juntos planejaram o assassinato de Sukhjit. No dia 1º de setembro de 2016, Ramandeep misturou sedativos na comida, fazendo com que todos os membros da família adormecessem profundamente. Posteriormente, Gurpreet entrou na casa, atacou Sukhjit com um martelo na cabeça e cortou sua garganta.

O filho do casal, que não havia consumido a comida com sedativos naquela noite, acordou e testemunhou a cena horripilante. Ele descreveu como viu sua mãe sentada no corpo de seu pai, sufocando-o com um travesseiro, enquanto Gurpreet atingia seu pai com um martelo. Quando seu pai ainda estava vivo, Gurpreet pegou uma faca e a entregou a Ramandeep, que cortou a garganta de Sukhjit.

Ao ser questionada sobre os motivos do assassinato, Ramandeep alegou que seu marido planejava vender sua propriedade e se mudar para a Inglaterra, afirmando que "membros da família o mataram e a incriminaram injustamente." A família de Ramandeep acredita que ela foi "incriminada" e afirma que continuará a lutar por sua inocência.

Ramandeep trabalhava como gerente de loja na Argos em Derby e conheceu Sukhjit quando ele trabalhava como motorista na Inglaterra. Seu amante, Gurpreet, era natural de Punjab e amigo de infância de Sukhjit. Ele costumava visitar regularmente a casa do casal e aparentemente se aproximou de Ramandeep.

Após o veredicto, a mãe de Sukhjit expressou alívio, afirmando: "Minhas preces foram atendidas, e consegui o que esperava do tribunal. Eu pedia a pena de morte para Ramandeep para que nenhuma criança passe por isso."

Apesar da condenação, a mulher planeja recorrer da sentença e continua a alegar sua inocência.

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!