Guerra continua

Putin manda exército russo promover nova ofensiva contra cidades ucranianas

Forças russas lançaram onda de ataques contra a cidade de Avdiivka, no leste da Ucrânia, e bombardeia de maneira sistemática, diz prefeito local

Por Agências
Publicado em 24 de novembro de 2023 | 08:27
 
 
 

O Exército russo lançou sua terceira onda de ataques desde 10 de outubro contra a cidade de Avdiivka, no leste da Ucrânia, e bombardeia de maneira sistemática o centro, declarou nesta sexta-feira seu prefeito. Há mais de um mês, esta cidade industrial em sido alvo de ataques incessantes das forças russas, que buscam conquistá-la há muito tempo.

"Começou a terceira onda", indicou o prefeito Vitaly Barabash à televisão, ao informar ataques "de todas os lados": nos flancos sul e norte, na zona industrial, além de Spartak, localizada entre Avdiivka e Donetsk, principal cidade ocupada pela Rússia na região de mesmo nome.  As forças russas, comandadas pelo presidente Vladimir Putin, continuam os ataques na Ucrânia enquanto o mundo foca atenções na crise entre Israel e Hamas, na Faixa de Gaza.

Em julho de 2014, Avdiivka caiu brevemente nas mãos de separatistas armados pela Rússia, antes de voltar para o controle ucraniano. Desde então, esta cidade em grande parte destruída marca a linha de frente nesta região e simboliza a resistência ucraniana. As forças da Ucrânia estão atrincheiradas atrás de sólidas fortificações. Tiveram de ceder um pouco de terreno há um mês, mas as defesas parecem resistir até o momento.

Segundo a Prefeitura, vivem atualmente cerca de 1.350 pessoas em Avdiivka, em comparação com os 30.000 habitantes antes da guerra. 

Rússia afirma ter destruído 16 drones na Crimeia e no sul do país 

A Rússia afirmou nesta sexta-feira ter destruído 16 drones ucranianos no sul do país e na península anexada da Crimeia. "Uma tentativa do regime de Kiev de realizar um ataque terrorista com drones aéreos contra locais no território da Federação Russa foi frustrada", disse o Ministério da Defesa.

"Os sistemas de defesa aérea destruíram 16 drones, 13 na península da Crimeia e três no território da região de Volgogrado" no sul, afirmou. Os ataques ucranianos contra o território russo multiplicaram-se nos últimos meses no âmbito da contraofensiva lançada em junho por Kiev. 

A Crimeia é um alvo frequente, pois é a base da frota russa no Mar Negro e uma importante rota de abastecimento para as forças de Moscou na Ucrânia. (AFP)

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!