tem desaparecidos

Sobe para 13 o número de mortos em incêndio em boate espanhola

Boate recebeu uma festa de aniversário no sábado à noite e que nem todos os convidados foram localizados

Por Agências
Publicado em 01 de outubro de 2023 | 12:03
 
 
 

Ao menos 13 pessoas morreram neste domingo (1) em um incêndio em uma boate na cidade espanhola de Múrcia, um balanço que não é definitivo, informaram as autoridades.

"Lamentamos comunicar que o número de mortos no incêndio de Atalayas subiu para 13", anunciou o prefeito de Múrcia, José Ballesta, na rede social X (antes Twitter).

"Os bombeiros continuam trabalhando no local e não descartamos a possibilidade de novas vítimas", afirmaram os serviços de emergência em um comunicado. 

O incêndio, que começou às 6H00 (1H00 de Brasília) na boate 'Teatre', localizada no bairro de Atalayas, era de "extrema gravidade", afirmou Ballesta à imprensa no local da tragédia.

Os bombeiros, que chegaram ao local às 7H00, conseguiram controlar as chamas em menos de uma hora, mas "ainda há corpos para retirar dos escombros, uma tarefa complicada devido ao risco de desabamento", destacou o prefeito.

Quatro pessoas, duas mulheres de 22 e 25 anos, e dois homens, de 41 e 45, foram intoxicadas pela inalação de fumaça.

Uma fonte da Polícia Nacional declarou à AFP que a prioridade é encontrar os desaparecidos. 

Ele disse que a boate recebeu uma festa de aniversário no sábado à noite e que nem todos os convidados foram localizados. 

"A investigação ainda não começou porque não há um balanço definitivo", acrescentou. Também afirmou que não há uma pista sobre a causa do incêndio. 

Diego Seral, porta-voz da Polícia Nacional em Múrcia, declarou à imprensa local que o ponto crítico onde o incêndio teria começado fica no primeiro andar da boate e que seis vítimas localizadas estavam nesta área.

Três dias de luto

Fotos divulgadas pelos serviços de emergência mostram os bombeiros lutando contra as chamas e a fumaça espessa que saía do teto da boate.

"Os bombeiros continuam trabalhando para determinar o número de desaparecidos", afirmaram os serviços de emergência, que estabeleceram uma área de informação para os familiares.

O primeiro-ministro da Espanha, o socialista Pedro Sánchez, expressou na rede X o "carinho e solidariedade com as vítimas e parentes do trágico incêndio".

O prefeito de Múrcia declarou três dias de luto e informou que 12 veículos de emergência, 40 bombeiros e 18 policiais foram mobilizados.

"Força e ânimo aos parentes e amigos neste momento complicado", afirmou o prefeito.

(AFP)
 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!