fora do cargo

Secretário de Infraestrutura de MG, Fernando Marcato pede para sair do governo

No lugar dele, deve assumir Pedro Bruno Barros de Souza, ex-superintendente na Diretoria de Infraestrutura, Concessões e Parcerias Público-Privadas do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES)

Por Lucas Negrisoli
Publicado em 03 de fevereiro de 2023 | 14:49
 
 
 

O secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, pediu à gestão de Romeu Zema (Novo) para deixar o cargo nesta sexta-feira (3). No lugar dele, deve assumir Pedro Bruno Barros de Souza, ex-superintendente na Diretoria de Infraestrutura, Concessões e Parcerias Público-Privadas do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES). A informação foi confirmada pelo governo de Minas. 

À reportagem de O TEMPO, Marcato comentou que o balanço de sua atuação, que, dentre os principais feitos tem a concessão do metrô de Belo Horizonte, foi positiva e “sai feliz” do governo.  

“Foi uma decisão minha. Terei um filho em março, tenho outras filhas, e quero voltar as atenções à minha família. Continuarei dando aulas na Fundação João Pinheiro, mas não tenho novos empreendimentos engatilhados”, comenta. 

“Conseguimos dobrar o número de concessões que o Estado teve em 15 anos em quatro, além da entrega do metrô, que era uma pauta pensada há muito tempo. Ainda conseguimos investir recursos do acordo de Brumadinho [entre o Estado e a Vale] e entregar o plano de mobilidade de Belo Horizonte. Ainda, abrimos uma importante renegociação dos contratos de concessão de ônibus na capital. Foi um bom balanço de atividades”, acrescenta.

Zema agradece Marcato e confirma mudança

Em nota, o governo de Minas Gerais comunicou o desligamento de Fernando Marcato, a pedido. No texto, a gestão de Romeu Zema informa que ele "optou por se dedicar ao mercado privado".

"Marcato nunca se furtou a assumir desafios e, com ele à frente da pasta, conseguimos avanços importantes na infraestrutura do estado, como o lançamento do Provias, maior programa de recuperação de rodovias da última década em Minas, além do leilão do metrô de BH, desejo antigo da população. Agradeço por tanta dedicação e empenho e tenho certeza de que Marcato será bem-sucedido aonde desejar", agradeceu Romeu Zema. no texto. 

"O portfólio de concessões e Parcerias Público Privadas (PPPs) em MG se tornou o maior do país nos últimos anos, somando 15 projetos estruturados e mais de R$ 20 bilhões em investimentos. Foram concluídas, por exemplo, as concessões do Rodoanel Metropolitano,  Aeroporto da Pampulha, Mineirinho, Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro (Belo Horizonte), Lotes Rodoviários 1 (Triângulo Mineiro) e 2 (Sul de Minas)", completa a nota.

Perfil

Fernando Marcato assumiu a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade em agosto de 2020. Ele é especialista na estruturação de projetos de infraestrutura no Brasil e no exterior, e atuou durante mais de uma década na área. Além da Fundação, Marcato também lecionou na Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, no campus de direito, e é mestre em direito público pela Universidade de Paris 1. Ele ainda foi secretário Executivo de Novos Negócios da Companhia de de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) entre 2008 e 2011.

Sucessor

O governo de Minas Gerais informou que pediu a cessão do servidor de carreira do BNDES, Pedro Bruno Barros de Souza, para assumir a pasta.

Hoje, ele ocupa o cargo de superintendente da Área de Parcerias em Infraestrutura Social e Serviços Ambientais do banco.

"O Governo de Minas confia na boa relação com o BNDES, que será importante para a garantia da continuidade dos projetos de infraestrutura em andamento", completa o texto. 

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!