Oriente Médio

FAB tem 6 aviões para repatriar brasileiros que estão em Israel e na Palestina

Além da tripulação de voo, o governo brasileiro vai enviar médicos e psicólogos para dar assistência aos brasileiros

Por Renato Alves
Publicado em 08 de outubro de 2023 | 11:30
 
 
 
normal

A Força Aérea Brasileira (FAB) montou uma operação para repatriar brasileiros que estão na área de conflito em Israel e na Palestina. Um avião KC-30, com capacidade para 230 passageiros, será enviado ainda neste domingo (8) de Natal (RN) para a Itália. No país europeu aguardará coordenação do Itamaraty para seguir ao Oriente Médio.

“Não sabemos ainda se essa primeira decolagem será amanhã [segunda, 9] ou na terça [9], dependendo da montagem dessa lista de passageiros que desejam voltar ao Brasil”, afirmou o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Marcelo Damasceno, durante entrevista coletiva na manhã deste domingo. 

Damasceno informou que há seis aeronaves prontas para a missão. Confira quais são:

  • dois aviões KC-30, com capacidade para até 230 passageiros;
  • dois KC-390, com capacidade para até 80 passageiros cada;
  • dois VC-2, cedidos pela Presidência da República, que podem transportar até 38 passageiros.

Além da tripulação de voo, o governo brasileiro vai enviar médicos e psicólogos para dar assistência aos brasileiros removidos.

Itamaraty diz que acompanha situação de brasileiros

O Ministério das Relações Exteriores (MRE) informou, no sábado, que monitora a situação das comunidades brasileiras. São estimados 14 mil brasileiros residentes em Israel e 6 mil na Palestina, “a grande maioria dos quais fora da área afetada pelos ataques”, diz a nota do órgão.

Segundo o Itamaraty, um brasileiro foi ferido e encontra-se hospitalizado. A Embaixada do Brasil em Tel Aviv está prestando assistência. O órgão informou ainda que a embaixada também está buscando contato com outros dois brasileiros que também estavam em um local atacado.

Brasileiro foi ferido em Israel por estilhaços de bomba

O brasileiro ferido em Israel durante a ofensiva surpresa do Hamas foi levado para um hospital com estilhaços de granada no corpo. Ele estava em uma festa rave no deserto, perto da fronteira com a Faixa de Gaza, quando terroristas chegaram atirando, na madrugada de sábado. Outros dois brasileiros que estavam no mesmo evento foram dados como desaparecidos.

O brasileiro ferido foi identificado apenas como Rafael. Quem deu informações sobre foi seu amigo Felipe Jurek. Os dois, que são de São Paulo, moram e trabalham em Israel. Felipe estava em Tel Aviv quando recebeu uma mensagem de Rafael falando sobre o bombardeio. Ele viajou 40 minutos em meio aos ataques para resgatar o amigo em Beer Sheva. Encontrou Rafael muito machucado, mas consciente.

“Assim que eles começaram a ouvir as explosões, encerraram a música, todo mundo começou a correr para tudo o que é lado, começaram a ouvir tiros, e aí eles correram para um bunker. Chegaram a matar policial, tacaram granada dentro do bunker”, contou Felipe em entrevista ao Jornal Nacional.

Até a publicação desta reportagem, não haviam informações sobre os dois desaparecidos em Israel desde os ataques do Hamas. Eles também estavam na festa rave realizada no sul do país.

Lula chama classifica como ‘terroristas’ ataques do Hamas a Israel e defende Palestina

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva condenou os ataques do Hamas a Israel neste sábado, que ele classificou como “terroristas”. Também pregou um cessar fogo imediato e defendeu um trabalho conjunto para garantir “a existência de um Estado Palestino economicamente viável”. 

“Fiquei chocado com os ataques terroristas realizados hoje contra civis em Israel, que causaram numerosas vítimas. Ao expressar minhas condolências aos familiares das vítimas, reafirmo meu repúdio ao terrorismo em qualquer de suas formas”, ressaltou o petistas em texto publicado nas redes sociais. 

“O Brasil não poupará esforços para evitar a escalada do conflito, inclusive no exercício da Presidência do Conselho de Segurança da ONU. Conclamo a comunidade internacional a trabalhar para que se retomem imediatamente negociações que conduzam a uma solução ao conflito que garanta a existência de um Estado Palestino economicamente viável, convivendo pacificamente com Israel dentro de fronteiras seguras para ambos os lados”, completou.

Governo brasileiro condena ataques do Hamas a Israel

Mais cedo, o Itamaraty emitiu nota condenando os ataques do grupo terrorista Hamas no território de Israel, a partir da Faixa de Gaza. O governo brasileiro também expressou “condolências aos familiares das vítimas e manifesta sua solidariedade ao povo de Israel”.

“Ao reiterar que não há justificativa para o recurso à violência, sobretudo contra civis, o Governo brasileiro exorta todas as partes a exercerem máxima contenção a fim de evitar a escalada da situação”, diz o texto oficial.

“O governo brasileiro reitera seu compromisso com a solução de dois Estados, com Palestina e Israel convivendo em paz e segurança, dentro de fronteiras mutuamente acordadas e internacionalmente reconhecidas. Reafirma, ainda, que a mera gestão do conflito não constitui alternativa viável para o encaminhamento da questão israelo-palestina, sendo urgente a retomada das negociações de paz”, diz o comunicado do Itamaraty. 

 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!